Rotina de saúde que todas as mulheres devem seguir

+ + + + +

Para preservar a saúde é preciso mais do que a simples manutenção de hábitos saudáveis. Os organismos de homens e mulheres possuem certas particularidades, que exigem diferentes cuidados e graus de atenção ao longo da vida. Há doenças que afetam mais um sexo do que o outro, por exemplo, o que exige um trabalho de prevenção exclusivo para cada grupo.

Neste post vamos focar nos cuidados com a saúde das mulheres. Para isso, fizemos um compilado dos principais acompanhamentos médicos que devem ser realizados do nascimento até a idade avançada, com os exames mais indicados em cada fase.

Exames gerais

Todas as pessoas devem realizar uma série de exames preventivos ao longo da vida, que valem tanto para mulheres quanto para homens. É preciso manter um controle da pressão arterial, da glicemia, do colesterol total e suas frações, da creatina e de TGO e TGP, além de exames de sangue, ISTs, fezes e urina. Essas são questões básicas nos checkups de rotina e devem ser observadas em todas as fases da vida.

  • Início da menstruação

A partir da primeira menstruação, a jovem deve realizar um acompanhamento constante com ginecologista. Isso porque a alta carga de hormônios na puberdade pode gerar algumas complicações para o organismo. Mas não é só isso. Esse profissional também ajudará a menina a entender as mudanças pelas quais o corpo está passando, tanto físicas quanto emocionais. Além disso, esse contato mais próximo com ginecologista deverá ser mantido pelo resto da vida, sendo provavelmente o profissional que será mais consultado.

O exame com ginecologista envolve a realização de uma anamnese completa, com perguntas sobre o histórico pessoal e familiar, além dos hábitos de vida. Também podem ser realizados alguns exames de rotina, como avaliação das mamas, do abdômen, dos órgãos genitais externos e o toque vaginal.

  • Início da vida sexual

Com a chegada da adolescência, também surgem os impulsos sexuais. E as consultas com ginecologista se tornam ainda mais importantes para prevenir alguns males que afetam exclusivamente as mulheres e para evitar desinformação sobre a atividade sexual. Dores na hora do ato, métodos contraceptivos e prevenção de infecções sexualmente transmissíveis são apenas alguns dos pontos que são abordados nessas consultas de rotina.

Vale lembrar que mulheres que já iniciaram a vida sexual ou que chegaram aos 18 anos devem realizar anualmente o exame Papanicolau. Ele é a principal forma de identificar o câncer de colo de útero, com a análise das células dessa área para verificar se está tudo de acordo.

  • Gravidez

Para planejar uma gravidez mais tranquila, é preciso fazer um acompanhamento constante com ginecologista. Os exames de rotina devem ser realizados, mas também é preciso verificar a imunidade contra algumas doenças, como toxoplasmose e rubéola. Essas são enfermidades que podem prejudicar o bebê, então é preciso ficar atento desde o primeiro momento.

Além disso, toda a gravidez também deve ser acompanhada nos exames de pré-natal. É neles que se verifica a saúde do bebê e da mãe, com a realização de ultrassonografias e exames para detecção de anemias, sífilis, HIV e hepatites B e C.

  • Dos 30 aos 50

Aqui começam a se intensificar as preocupações com o sistema reprodutivo da mulher, pois é quando aumentam os casos de câncer de colo de útero e de mama, e com a osteoporose, que têm na idade o principal fator de risco para as mulheres.

O rastreamento do câncer de mama deve começar a ser feito a partir dos 35 anos. Também é nessa fase que é preciso fazer a densitometria óssea, pois é quando começa a perda da porção medular dos ossos na mulher, que pode gerar a osteoporose. A tireoide também exige atenção extra, pois a glândula é importante na produção de hormônios femininos e a incidência de cânceres nessa área é 30% maior em mulheres. Para quem possui histórico familiar dessas doenças, porém, o controle deve começar o quanto antes.

Outro ponto de atenção é a menopausa. Quando começa o climatério, aquele período de irregularidade que antecede a menopausa,é recomendado que seja feito um perfil hormonal, pelo exame de sangue coletado junto aos demais da rotina habitual, com o objetivo de auxiliar a mulher a passar por essa fase mais tranquilamente.

  • Acima de 50

A idade intensifica os riscos apresentados até o momento. Com isso, os exames permanecem os mesmos, mas precisam ser realizados com uma frequência maior. Os cuidados com o surgimento de cânceres de mama e de colo de útero devem ser intensificados, mas é preciso atenção extra com a osteoporose, pois ela afeta mais as mulheres. Consultar o cardiologista também deve fazer parte da rotina, para controle da pressão arterial e problemas do coração – que se intensificam a partir dessa idade.

Acompanhamento sob medida

Se você precisa realizar algum dos acompanhamentos listados acima, que tal consultar um profissional da AssisteMed? Ligue para (31) 2342-1200 ou acesse nosso site para marcar uma consulta. Nossos profissionais estão prontos para avaliar seu caso e determinar qual a melhor opção para seu caso.

Marque uma consulta ▸