Não pegou Covid nestes 2 anos de pandemia? Veja algumas teorias do porquê disto

+ + + + +

Quase dois anos de pandemia já se passaram, desde o primeiro caso confirmado da doença no Brasil, muita coisa mudou. Segundo dados oficiais do Ministério da Saúde, mais de 30 milhões de casos de Covid já foram confirmados no país. Neste cenário, todo mundo conhece alguém que já desenvolveu a doença, no entanto, por mais infecciosa que seja a doença, muita gente nunca pegou a enfermidade. Hoje, o blog da AssisteMed vai listar algumas hipóteses do porquê:

Proteção

Existe uma parcela considerável da população que não pegou Covid até hoje porque tem  se protegido da doença desde que surgiram os primeiros estudos com recomendações do que fazer para evitar a doença causada pelo Sars-Cov-2.

A principal medida é o distanciamento social. Evitando aglomerações, saindo apenas para o necessário, muitas pessoas, principalmente aquelas dos grupos de risco ou que convivem com pessoas destes grupos, buscaram minimizar o contato social e, por isso, ficaram menos expostas ao vírus.

Aquelas pessoas que, por diversos motivos, não conseguiram se manter em casa durante todo o período da pandemia, utilizaram outros métodos de proteção como máscaras faciais e higienização frequente das mãos. Assim, mesmo estando em ambiente de circulação de pessoas, elas estavam com uma menor possibilidade de serem infectadas.

Vacinação

O brasileiro possui a cultura de se vacinar e, mesmo com toda a desinformação sobre as vacinas de proteção contra a Covid-19, a maior parte da população recebeu o imunizante. As vacinas atuam, principalmente, para evitar que haja complicações e agravamento da doença, no entanto, elas também atuam para impedir que haja a contaminação com a Covid.

É importante manter com a vacinação em dia. Foto: Gil Leonardi/Agência Minas

Herança genética

Um estudo feito pela Universidade de São Paulo (USP) descobriu que algumas pessoas são mais resistentes ao vírus. A razão desta menor propensão para desenvolver a Covid seria que este grupo possui uma reação mais rápida ao vírus por meio das células de defesa denominadas “natural killers” (NK).

Ou seja, a pessoa até entra em contato com o vírus, no entanto, rapidamente estas células são ativadas e a doença não é contraída.

Imunidade cruzada

Um estudo publicado pela revista Cell em 2020 ventila a possibilidade de pessoas que já contraíram outros coronavírus anteriormente terem ficado com imunidade para a Covid. Nestes casos, o corpo reconheceria o vírus e faria a defesa rapidamente, impedindo com que a doença se espalhe.

Assistência Especializada

Caso você sinta os sintomas clássicos da Covid-19 e perceba um agravamento na sua condição de saúde, é muito importante ir atrás de profissionais de confiança que possam fazer um diagnóstico. A AssisteMed oferece testes para identificação da doença, além de contar com uma equipe de clínicos gerais de excelência.

Agende um horário entrando em contato pelo telefone (31) 2010-5000, pelo WhatsApp (31) 2342-1200 ou pelo site http://assistemed.com.