Como lidar com ansiedade e depressão na pandemia?

Como lidar com ansiedade e depressão na pandemia?
+ + + + +

Ficar em casa, manter o isolamento até mesmo dos familiares e amigos, evitar tocar em outras pessoas, utilizar máscara e álcool em gel. Todo mundo já sabe quais cuidados devem ser tomados para evitar a disseminação da Covid-19. O que pouca gente discute, porém, são os efeitos negativos dessas medidas para o psicológico. Tudo isso, junto às incertezas sobre o mercado de trabalho e sobre o futuro, podem gerar novos casos ou agravar crises de ansiedade e depressão.

Um levantamento feito pelo Our World in data (Nosso Mundo em Dados, em tradução livre) aponta que a ansiedade é a doença mental mais comum em todo o mundo, afetando 2,5% a 7% da população de todos os países – um total de 284 milhões de pessoas. Além disso, a Organização Mundial de Saúde aponta que o Brasil é o país da América Latina com o maior número de casos de depressão, com cerca de 12 milhões de casos.

Essa situação pode ser ainda pior após a pandemia, como aponta o editorial publicado pelo periódico científico The New England Journal. As pesquisadoras de duas universidades dos Estados Unidos mostraram que pessoas em quarentena ou na linha de frente contra a Covid-19 já vêm apresentando quadros de estresse, medo, raiva e tristeza profunda. “Há o medo de ser exposto, ficar doente e morrer, assim como o de perder amigos e parentes. Como efeitos secundários há os problemas econômicos. Índices de suicídio aumentam quando a economia vai mal, as pessoas se estressam mais quando os tempos são ruins”, afirma a especialista.

Dessa forma, é preciso ficar atento a alguns sinais e buscar ajuda profissional para controlá-los:

  • Alterações no sono;
  • Irritabilidade;
  • Angústia;
  • Sofrimento por antecipação;
  • Tristeza constante;
  • Sensação de sufocamento e falta de ar;
  • Coração acelerado;
  • Preocupação excessiva;
  • Dores de cabeça fortes;
  • Nervosismo;
  • Pensamentos pessimistas ou suicidas;

Como controlar os sintomas?

Ansiedade e depressão são situações diferentes e cada caso exige um tratamento próprio, já que os sintomas variam de pessoa para pessoa. Quem vai indicar a melhor forma de lidar com o problema é apenas o psicólogo, mas, nesse período de pandemia, algumas questões são tão generalizadas que podem ser trabalhadas de forma universal.

De acordo com o Conselho Nacional de Saúde, é possível seguir algumas orientações para cuidar melhor do psicológico durante a quarentena.

É preciso estar atento aos sentimentos e manter contato com a família e os amigos, mesmo que de forma virtual. Respeitar os horários de trabalho, não se sobrecarregar e dedicar um tempo para si mesmo são outras dicas importantes.

Veja outras dicas:

  • Cuidado com o excesso de informação: todo dia recebemos uma enxurrada de notícias, seja sobre a Covid-19 ou sobre o mercado de trabalho. É importante se manter atualizado, claro, mas podemos dosar o nível de informação que chega até nós. Assim é possível controlar melhor a angústia e o pânico tão comuns nesse período.
  • Exercite seus hobbies: Ler um livro, assistir a um filme, jogar videogame, cuidar das plantas, fazer crochê. Não importa qual seja a sua distração, sempre vá atrás dela quando estiver muito estressado, com medo ou ansioso. Assim você pode se desconectar um pouco da realidade e se deixar levar para um espaço mental mais seguro.
  • Mantenha uma rotina: por mais que criar uma rotina em casa seja desafiador, é preciso ter bem definido quais são os horários de trabalho e de intervalo, além dos momentos de lazer e de descanso. É uma forma de mostrar que estamos no controle de pelo menos um dos pontos de nossa vida nesse momento de tantas incertezas.
  • Faça exercícios físicos: com academias fechadas e limitações para praticar exercícios ao ar livre, há diversas formas de fazer isso dentro de casa. Aplicativos de treinos, professores a distância, aulas online. São várias possibilidades para te ajudar a movimentar o corpo e, assim, melhorar a autoestima, a qualidade do sono e a concentração – com impactos diretos nos níveis de estresse, ansiedade e depressão.
  • Preste atenção na respiração: uma das dicas mais importante quando estiver em um ataque de ansiedade é cuidar da sua respiração. Respirar utilizando a musculatura do diafragma, de forma calma e controlada, ajuda a acalmar o corpo, diminuir o fluxo respiratório e equilibrar o problema.

Ajuda profissional

Apesar de todas as dicas serem importantes, é só com a ajuda de um profissional que você poderá aprender a lidar com os sintomas da ansiedade e da depressão. Cuidar da sua saúde mental é essencial, ainda mais nesse período de pandemia. Um psicólogo te ajudará a entender melhor o momento que estamos vivendo, para que você encare tudo com mais segurança.

Na AssisteMed temos profissionais capacitados para te ajudar a identificar possíveis casos de ansiedade ou depressão e lidar melhor com esses problemas. Entre em contato com a gente pelo telefone (31) 2342-1200 ou pelo formulário do nosso site para que possamos conversar.

Marque uma consulta ▸