?>

Casos de Sífilis aumentam em Minas Gerais. Conheça os sintomas e saiba como se prevenir

+ + + + +

No último mês, a Secretária de Saúde de Minas Gerais divulgou um dado preocupante: os casos de Sífilis estão aumentando no estado. A infecção atinge principalmente adultos, mas também recém-nascidos e idosos.

A sífilis é uma doença infecciosa causada por uma bactéria. Ela se manifesta em três estágios: primária, secundária e terciária.

Segundo o Ministério da Saúde, os dois primeiros estágios apresentam as características mais marcantes da infecção, quando se observam os principais sintomas e quando essa DST é mais transmissível. A sífilis manifesta-se inicialmente como uma pequena ferida nos órgãos sexuais (cancro duro) e com ínguas (caroços) nas virilhas, que surgem entre a segunda ou terceira semana após a relação sexual desprotegida com uma pessoa infectada. A ferida e as ínguas não doem, não coçam, não ardem e não apresentam pus.

Exame de sangue é uma das formas de identificar a doença. Foto: Ministério da Saúde

Depois, ela desaparece durante um longo período: a pessoa não sente nada e apresenta uma aparente cura das lesões iniciais, mesmo em casos de indivíduos não tratados. Podem demorar anos até que surjam complicações graves como cegueira, paralisia, doença cerebral, problemas cardíacos, podendo inclusive levar à morte. Caso ocorra em grávidas, poderá causar aborto ou má formação do feto.

Tratamento

O tratamento da sífilis é realizado com a penicilina benzatina. A dose dependerá do estágio clínico da doença. Após o tratamento completo, é importante continuar o processo com coleta de testes não treponêmicos, para ter certeza da cura. Todas as parcerias sexuais dos últimos três meses devem ser testadas e tratadas para quebrar a cadeia de transmissão.

Quando a sífilis é detectada na gestante, o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível, com a penicilina benzatina. Esse é o único medicamento capaz de prevenir a transmissão vertical (passagem da sífilis da mãe para o bebê). A parceira sexual também deverá ser testada e tratada para evitar a reinfecção da gestante que foi tratada.

Prevenção

O uso correto dos preservativos é a principal medida de prevenção da sífilis. O acompanhamento das gestantes e parcerias sexuais durante o pré-natal de qualidade contribui para o controle da sífilis congênita.

A sífilis não confere imunidade permanente, ou seja, mesmo após o tratamento adequado, caso entre em contato com patogênico, a pessoa pode ter a doença novamente.

A AssisteMed pode te ajudar

Quer descobrir se está infectado com a doença? A AssisteMed realiza o VDRL, teste para identificação de pacientes com sífilis. Agende um horário entrando em contato pelo telefone (31) 2010-5000, pelo WhatsApp (31) 2342-1200 ou pelo site http://assistemed.com.